quinta-feira, 30 de julho de 2009

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Santiago é "convidado a se retirar" da revista do CREA-RS



Desde 1986, o grande chargista Santiago tinha seus desenhos publicados na revista do CREA-RS(Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Estado do Rio Grande do Sul). Após tanto tempo de parceria, Santiago foi convidado a se retirar da revista. Seria devido suas criticas duras que vão de encontro aos interesses da entidade?
Recentemente, Santiago vem participado de maneira expressiva ao lado de ambientalistas, contra grandes empreendimentos previstos por empreiteiras, como o Pontal e o Espigão.
Sempre com sua opinião firme contra o impacto que essas construções trazem para os cidadãos.

Quem ocupará seu lugar é o Marco Aurélio, da ZERO HORA. É provável que o presidente do CREA-RS, Eng. Civil Luiz Alcides Capoani, acredite que a entidade terá mais espaço no jornal da RBS tendo o "cartunista" em sua revista.

Partindo desse pressuposto então me pergunto, será que o Movimento Cidade Baixa VIVE não teria mais espaço na ZERO HORA, se convidássemos o "cartunista" Marco Aurélio para abrilhantar com seus traços nosso blog e nossos panfletos. Pois ideais nós temos, agora só falta Marco Aurélio para emplacarmos no jornal de maior circulação do estado...

É lamentável tal decisão por parte do CREA-RS, que pelo que indica sua postura, nega o direito aos seus leitores do contraditório em sua revista.


Eduardo Menezes:

“A demissão de Santiago pode parecer quase irrelevante, não fosse o contexto obscurantista em que os interesses econômicos cassam as vozes divergentes. Faz companhia ao Santiago, o jornalista Wladimir Ungaretti, impedido de emitir opiniões ou críticas àquilo que é produzido pelo jornal do P-RBS. Também blogueiros processados por lumpens que vivem de patrocínio estatal e escritores de quinta categoria. Ora, o Rio Grande do Sul é dominado basicamente por dois setores da economia, pelos ruralistas no campo e pelas empreiteiras na cidade. Ambos garantiram ainda no período da ditadura militar, o monopólio midiático na Região Sul, de modo, que a construção de qualquer discurso público seja antes filtrado por seus pareceres e opiniões”.


Kayser:

"O CREA-RS está trocando Chico Buarque por Tiririca".



Manifeste sua opinião: profissionais do "em dia" com o CREA-RS>http://www.crea-rs.org.br/ouvidoria/Manifestacao.asp

ou pelo telefone da ouvidoria: 0800 644 2100

cidadãos> pelo e-mail: revista@crea-rs.org.br


Escrito por: Caroline Bastos


fontes: http://rsurgente.opsblog.org/

http://blogdokayser.blogspot.com/